Histórico
 
O Projeto Arara Azul começou em 1990, tendo como apoio de campo a Fazenda Nhumirim do Centro de Pesquisas Agropecuárias do Pantanal, CPAP-Embrapa, na sub-região do Pantanal da Nhecolândia, com recursos do WWF-US e posteriormente veículo Jipe bandeirante cedido pela Toyota. Nos primeiros trabalhos de campo Neiva contou com a colaboração do biólogo Lee Harper. A pesquisa sobre biologia reprodutiva da arara azul virou tema da dissertação de mestrado de Neiva Guedes na ESALQ/USP sob a orientação do Profº Dr. Álvaro Fernando de Almeida. 

Em Outubro de 1993 Neiva Guedes conclui o mestrado e em Março de 1994 ingressou no CESUP – Centro de Ensino Superior de Campo Grande, atualmente UNIDERP – Universidade para o Desenvolvimento do Estado e Região do Pantanal, que passa a ser a executora do Projeto através de Neiva Guedes.

foto-historico-01.jpg   foto-historico-02.jpg
Neiva no Início do Projeto.
Foto: Joilson de Barros
No começo do Projeto, Neiva monitorando ninho com filhote de arara azul.
Foto: Lee Harper.

Em 1993 e 1994 Neiva recebeu bolsa e recursos da Fundação O Boticário/Mac Arthur Foundation que ajudou a manter o Projeto juntamente com recursos do CECITEC (atual FUNDECT) recebidos com o apoio da SODEPAN (1993-1995).

No período de 1996 a 1999, a maioria das despesas do Projeto foram mantidas pelo casal Elly de Vries e Richard Welch de Los Angeles-EUA que haviam conhecido o Projeto em 1995. No retorno para o seu país, eles criaram o Hyacinth Macaw Fund repassando recursos através da Califórnia Community Foundation. Em 1999, com a separação do casal, esse fundo foi extinto.

Em Outubro de 1998 foi inaugurada a 1ª Base de Campo no R. E. Caiman, cedida por Roberto Klabin. Com essa base, o Projeto pôde contratar um assistente de pesquisa para ficar em tempo integral no campo.

No final de 1999, o WWF-Brasil começou a patrocinar a pesquisa e acabou se transformando num grande parceiro do Projeto, através do Programa Pantanal para Sempre, até o junho de 2005. No período de reprodução, um biólogo de campo é contratado por seis meses. Em junho de 2001, a Toyota cedeu dois veículos novos. Em 2002, mais um assistente de pesquisa e/ou acadêmico bolsista é absorvido pelo Projeto.
No período de 2000 a 2003, o Projeto recebe o apoio da Fundação Manoel de Barros que gerencia os recursos arrecadados por Neiva Guedes. Além do WWF recebe patrocínio da Vanzin Escapamentos e Brasil Telecom.

No final de 2003 é criado o Instituto Arara Azul e a partir de 2004 ele passou a gerenciar os recursos do Projeto fornecidos pelo WWF, Ecotrópica Alemã, Vanzin, Brasil Telecom, Roberto Klabin, Burger Zôo, BR Tintas e do Criadouro Asas do Brasil. A equipe de campo passou a contar com um biólogo e estagiários o ano inteiro. O projeto é reconhecido nacional e internacionalmente. Em maio de 2004 Neiva Guedes recebe a medalha de Golden Ark, do príncipe Bernard na Holanda e também se encontra com o Príncipe Philip, Duque de Edinburgh no Palácio de Buckingham. 

Neiva com uma arara azul que foi apreendida pela polícia Florestal e solta no Pantanal.
Foto: Sidney Kakazu

Em Setembro de 2004 o Centro de Visitantes da base do Projeto no R.E.Caiman é reformulado e re-inaugurado com recursos do WWF Brasil. Em 2005 a Toyota troca os dois veículos por versões mais novas e a equipe do Projeto é composta por um biólogo de campo, um assistente de pesquisa, uma comunicadora. No final deste ano é lançado o livro: Araras Azuis de autoria de Luciano Candisani e Sérgio Túlio, pela Editora DBA.

Em 2006 o Instituto recebe uma turismóloga bolsista do Programa Trainee da Fundação O Boticário, a Toyota do Brasil faz um aporte em recursos para o Projeto Arara Azul e promove vários eventos para divulgação do Projeto em outros estados do Brasil. A convite da Toyota o Projeto sai do Pantanal para ser divulgado em Feiras, exposições e eventos em São Paulo. São realizadas duas provas especiais do Toyota Hilux Expeditions – Projeto Arara Azul, um rali de regularidade, para divulgar o projeto para outros públicos. Palestras são proferidas no Brasil. É inaugurado o Centro de Visitantes do Projeto na Pousada Araraúna, da UNIDERP, no Pantanal de Aquidauana e o no R.E. Caiman, no Pantanal de Miranda o Centro de Visitantes é novamente reformulado com a construção de um laboratório.

No final de 2006, a arara azul é escolhida com mais sete espécies de animais ameaçados de extinção pelo mundo (Tigre de bengala no Nepal, urso panda na China, urso polar no Canadá, elefante na Índia, Gorila em Ruanda e Tartaruga de pente na Costa Rica) para tema de um documentário realizado pela Endemol para a ITV de Londres.

Copyright © 2009 - Instituto Arara Azul. Todos os direitos reservados. All rights reserved. Créditos do Portal